segunda-feira, 26 de junho de 2017


 Ilustração Troche


A noite emprestou as estrelas
Bordadas de prata
E as águas de Amaralina
Eram gotas de luar.

Era um peito só
Cheio de promessa 

Toninho Nascimento 

 

sexta-feira, 23 de junho de 2017




Vai resplandecer
Uma chuva de prata do céu vai descer, 
O esplendor da mata vai renascer
E o ar de novo vai ser natural

Vai florir
Cada grande cidade o mato vai cobrir
Das ruínas um novo povo vai surgir
E vai cantar afinal


João Nogueira

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Porque ela ainda não havia conhecido meu jardim....


Foto Simone Gallego


na hora de pôr a mesa, éramos cinco:
o meu pai, a minha mãe, as minhas irmãs
e eu. depois, a minha irmã mais velha
casou-se. depois, a minha irmã mais nova
casou-se. depois, o meu pai morreu. hoje,
na hora de pôr a mesa, somos cinco,
menos a minha irmã mais velha que está
na casa dela, menos a minha irmã mais
nova que está na casa dela, menos o meu
pai, menos a minha mãe viúva. cada um
deles é um lugar vazio nesta mesa onde
como sozinho. mas irão estar sempre aqui.
na hora de pôr a mesa, seremos sempre cinco.
enquanto um de nós estiver vivo, seremos
sempre cinco.

José Luís Peixoto in A Criança em Ruínas

 

quarta-feira, 14 de junho de 2017

 
 
 
 Ilustração Troche
 
 
A filosofia são as palavras
tateando no escuro

A poesia são as palavras
tomando sol

Nei Duclós 
 

quinta-feira, 8 de junho de 2017


 Foto Acervo afetivo


Eu não tenho paredes. Só tenho horizontes…

Mario Quintana

terça-feira, 6 de junho de 2017

Coisas de um guerreiro...

 
 Foto Simone Gallego


Rompi tratados, trai os ritos
Quebrei a lança, lancei no espaço
Um grito, um desabafo
E o que me importa é não estar vencido.

João Ricardo (Secos e Molhados)

 

Foto Acervo Afetivo


Naquele momento, o meu mundo se resumia a uma cruz, uma ermida, a lua e a imensidão negra, fria, oculta ao meu redor. 

Guy Veloso in  A via Láctea - Pelos caminhos de Santiago de Compostela

sexta-feira, 2 de junho de 2017



Foto - Acervo Afetivo


Decidi enfrentar meus dilemas e medos cara a cara à escuridão, à solidão, à morte. De frente a mim mesmo. Pois sabia que desafiando os meus fantasmas seguiria minha busca. Transformaria minha vida.

Guy Veloso in Via Láctea - Pelos caminhos de Santiago de Compostela


quinta-feira, 1 de junho de 2017

Foto Acervo Afetivo


Sentia medo. Frio. Mas não estava arrependido. Intuía que deveria mesmo passar por aquela experiência; que cedo ou tarde, o próprio Caminho iria botar-me em uma encruzilhada

Guy Veloso in Via Láctea - Pelos caminhos de Santiago de Compostela
 

quarta-feira, 31 de maio de 2017



 Foto Acervo Afetivo


Pois logo chegaria o tempo do encontro e da separação. Do choque entre o novo e o velho. Entre a mão esquerda e a direita. Tempo em que o grande Caminho de Santiago seria percorrido de uma forma diferente: por dentro.

Guy Veloso in Via Láctea - Pelos caminhos de Santiago de Compostela